Oxigênio Terapia

oxi

Manfred von Ardenne nasceu em Hamburgo, em 20 de Janeiro de 1907 e morreu, em Desdren, em 26 de Maio de 1997. Ele era físico e inventor. Atuou em diversas áreas e obteve aproximadamente 600 patentes nos campos da microscopia eletrônica, tecnologia nuclear, física do plasma, tecnologia do rádio e televisão. De 1928 a 1945, foi diretor do laboratório de pesquisas em Física Eletrônica. Durante dez anos, após a Segunda Guerra Mundial, trabalhou na União Soviética no projeto da Bomba Atômica russa, tendo recebido o Prêmio Stalin.
Após retornar à Alemanha fundou o laboratório Instituto de Pesquisa Manfred von Ardenne, onde começou a utilizar o oxigênio para a cura do câncer. A sua primeira experiência teve início com um amigo que sofria da enfermidade. Podemos dizer que a Medicina ganhava mais uma ferramenta de tratamento clínico para uma enfermidade tão grave como é o câncer.

Assim a terapia de Von Ardenne, através de estudos, demonstrou que uma grande variedade de doenças cardíacas, câncer, distúrbios circulatórios e doenças mentais estão relacionadas à deficiência de oxigênio.

As terapias com oxigênio ajudam o núcleo da célula (mitocôndria) e contribuem para a recuperação da doença, assim como contribuem para manter a saúde geral e promove a longevidade.
Esta técnica e terapia, desenvolvida na década de 1960, por Von Ardenne, consiste em várias sessões utilizando oxigênio, mais suplementos vitamínicos, que facilitam a rotatividade do oxigênio intracelular, associado ao exercício físico. Esta terapia se diversificou em mais de 20 variantes diferentes de tratamento e é praticada em toda a Europa, Estados Unidos e também no Brasil, inclusive em nossa Clínica.

Suplementação de oxigênio é igual vida saudável!

O oxigênio é a fonte das combustões internas que geram a energia necessária à manutenção dos processos vitais. As oxidações biológicas necessitam de uma adequada provisão de oxigênio e, muitas vezes, a respiração é insuficiente como fonte desse elemento.
No mundo moderno, altamente industrializado e poluído, a concentração de oxigênio na atmosfera é cada vez menor. Em muitas cidades a taxa de oxigênio atmosférico é menor que 15% e, em algumas indústrias, chega a ser menor que 10%. Podemos afirmar, sem medo de exageros, que o homem dos grandes centros sofre cronicamente de carência tecidual de oxigênio.
Portanto, a ressíntese de ATP (Adenosina Trifosfato) é o principal fator para uma vida saudável. Com o envelhecimento ocorre a redução de aporte de oxigênio vindo a afetar as forças físicas e mentais. A principal característica da juventude é a disponibilidade de energia que é resultado de uma adequada oxigenação celular. A formação de ATP não é limitada pela ingestão de alimentos, mas sim, pelo transporte de Oxigênio aos tecidos do corpo. (Berlen-Dahlem-1930)
O oxigênio (O2) é pré-requisito energético para manutenção da vida e sua deficiência leva a queixas, sofrimentos, doenças e até à morte. Deficiência de O2 é diminuição do transporte ou diminuição da utilização, levando aumento da necessidade celular.
O objetivo da Terapia com Oxigênio é melhorar ou eliminar a deficiência da síntese de ATP e aumentar o transporte para os tecidos de forma duradoura, para obtenção da longevidade saudável.

O que é e como funciona a terapia de Oxigênio?

A terapia com oxigênio, além de ser uma das mais antigas terapias conhecidas, é também uma das mais bem sucedidas. Consiste num lento processo de “inundar” o organismo com formas ativas de oxigênio com todos os seus benefícios.
O ser humano pode passar semanas sem comer, dias sem beber, porém, com apenas alguns minutos sem oxigênio, o resultado é a morte. Isto mostra de uma forma simplista, a importância do oxigênio na vida de todos.
Este elemento natural e invisível, sob a forma de gás (O2) é para todos nós um componente indispensável, principalmente para o fornecimento de energia e da atividade celular no organismo. Através da respiração, o oxigênio existente no ar chega aos pulmões, passa para o sangue, e, através da circulação sanguínea, é transportado para os tecidos e órgãos.

oxi2
Os capilares sanguíneos entregam o oxigênio às células nas quais, por meio do processo de oxidação biológica, é gerada energia. Essa energia é necessária para todas as atividades vitais do nosso organismo. Vida e energia estão intimamente ligadas, e assim se compreende que a saúde esteja interligada ao bem-estar, à capacidade de resistência e ao pleno estado energético.
Só quando há oxigênio suficiente disponível é que o organismo consegue processar toda a energia retirada dos nutrientes. Caso contrário, a falta de oxigênio predispõe o organismo a um número elevado de doenças, queixas e males, especialmente na idade mais avançada.

Dos inúmeros estudos realizados até hoje, chegou-se à conclusão que a pressão parcial de oxigênio (O2) diminui com a idade. A razão para tal fato, é a diminuição da força do sistema respiratório, somada à deterioração das funções cardíacas e do sistema vascular (arteriosclerose) aliada a poluição do meio ambiente, sedentarismo e à má alimentação.
Os primeiros sintomas de déficit de oxigênio são subjetivos, como o cansaço, o abatimento geral, a falta de força ou a tendência para a debilidade.
Existem vários métodos para medir a pressão parcial de oxigênio. Na prática, a medição transcutânea da pressão de O2, sem extração de sangue, é suficientemente viável, de modo a permitir reconhecer déficits de oxigênio. Este processo de medição é simples e rápido. Valores medidos, claramente abaixo daqueles que são os de se esperar em relação à idade, devem ser entendidos como um sinal de alerta.
Segundo a opinião de especialistas alemães, 35 a 40% da população acima de 40 anos tem déficit energético. E esse déficit é resultado da falta de oxigênio nas células.
Para mudar este quadro, temos a Terapia à Base de Oxigênio em Várias Fases (TOVF), sustentada pelos estudos e pesquisas efetuadas pelo famoso físico alemão Prof. Manfred Von Ardenne. Ele demonstrou que a inalação diária de oxigênio, durante um determinado período de tempo, melhora o fornecimento de oxigênio aos tecidos e melhora a função celular. O verdadeiro efeito da TOVF é o aumento da microcirculação ao nível dos capilares, com consequente melhoria no fornecimento de oxigênio a todo o organismo. O tratamento é constituído por três fases criadas pelo Prof. Von Ardenne, o que o diferencia de outros tratamentos, utilizando também o recurso da inalação de oxigênio.

De acordo com o Prof. Von Ardenne, a Terapia com Oxigênio aumenta a resistência física e psíquica, não só ao estresse, como também auxilia nas dificuldades de concentração, reforça o sistema imune e combate os estados debilitantes associados ao avançar da idade.
Dos inúmeros tratamentos e estudos clínicos efetuados, o tratamento à base de oxigênio poderá, além de evitar o aparecimento do déficit de energia, ser utilizado num vasto leque de aplicações terapêuticas nos mais diversos quadros patológicos.

  • Conheça mais alguns objetivos deste tratamento incrível:
  • Aumentar o desempenho físico e psíquico, sobretudo para os que estão continuadamente sob estresse ou tem idade avançada;
  • Combater as doenças e sintomas causados pela fraca oxigenação do organismo como por exemplo angina de peito, falta de ar, problemas cardiovasculares, câncer e doenças neuro degenerativas;
  • Disfunções do envelhecimento, fadiga, apneia do sono, dentre outras;
  • Normalização dos valores da pressão arterial;
  • Prevenção de doenças;
  • Manter e até aumentar a resistência de todo o organismo;
  • Combater e prevenir a falta de energia e de oxigênio;
  • Melhorar o sistema imune do organismo, aumentando e estabilizando as defesas naturais;
  • Possibilitar o tratamento propriamente dito de doenças crônicas e síndromes dolorosas;
  • Diminuir os efeitos secundários e nocivos dos produtos farmacológicos;
  • Diminuir as consequências negativas do cigarro e outros tóxicos;
  • Aumentar o poder de concentração e memória;
  • Aumentar a condição física antes de determinados esforços (por exemplo, para esportistas).